Quais são as principais características da geração Z?

A classificação das gerações é feita a partir de dois fatores: como as pessoas utilizam a tecnologia; e como funcionam os aspectos comportamentais.

Assim, o perfil de pessoas (de acordo com o seu comportamento) que nasceram no mesmo período, determina uma geração. Ou seja, as características da geração Z são muito distintas das características da geração Baby Boomers.

Vamos, agora, analisar as diferenças entre as gerações? Confira!

Quais são as diferenças entre as gerações?

Fica mais fácil quando exemplificamos: crianças nascidas antes dos anos 2000 tiveram uma infância com brincadeiras na rua e podiam explorar os lugares com uma tranquilidade maior. Quando essas crianças cresceram, passaram a acompanhar o desenvolvimento do mundo percebendo uma série de mudanças, entre elas, o aumento da violência.

Assim, a segurança virou uma meta: pensar em ambientes mais protegidos e entretenimentos que não necessitam envolver pessoas desconhecidas, na tentativa de controlar mais as relações pessoais daqueles que mais amam.

Aqui, usamos o termo “tentativa” porque, com o advento da internet, as crianças conseguiam acessar inúmeros sites e se conectar com diferentes pessoas durante todo o dia. Em uma conexão diferente, a geração foi desenvolvendo seus comportamentos por meio de relações e emoções virtuais.

Neste artigo, iremos tratar de algumas diferenças entre as seguintes gerações:

  • Baby boomers;
  • X;
  • Y;
  • e Z.

Além disso, iremos apontar as características principais da geração Z, pensando nos aspectos pessoais, sociais, profissionais e econômicos.

Baby Boomers

A geração Baby Boomers engloba as pessoas nascidas entre 1945 e 1964. A tradução literal do termo seria “explosão de bebês”, em que, nos Estados Unidos, ocorreu um aumento demográfico significativo nesse período.

No Brasil, os Baby Boomers iniciaram no mercado de trabalho nos anos de 1970 e, ao fim, acabaram vivenciando uma crise econômica. A participação nessa crise fez com que a geração se tornasse economicamente conservadora se comparada aos norte-americanos e aos europeus.

Além disso, por ser um período pós guerra mundial, as famílias dessas crianças as ensinaram a valorizar o trabalho, terem disciplina e se dedicarem a formar uma família, com a intenção de melhorar a condição de vida comparada à geração passada (no período de guerra).

Os Baby Boomers, hoje, ainda possuem princípios voltados à valorização da estabilidade financeira com medo de grandes mudanças e inconstância na carreira. Para eles, a realização pessoal é possuir uma família estruturada, com dinheiro para viver confortavelmente e um trabalho que garanta segurança. Assim, é considerada uma geração conservadora, educando os filhos da mesma forma a qual foram educados.

Geração X

A geração X engloba os indivíduos nascidos entre meados de 1965 até 1980. É considerada transgressora devido à luta pelos seus direitos. Além disso, viram a criação da internet, do celular e do computador, sendo marcados por uma mudança tecnológica significativa.

Esta geração, além do contato com a nova tecnologia, possui uma série de características:

  • começou a pensar e se preocupar sobre a geração futura;
  • repensou sobre as estruturas sociais estabelecidas pela geração passada;
  • e buscou liberdade, direitos individuais e direitos coletivos.

Geração Y

A geração Y nasceu entre o final dos anos de 1970 e o início de 1990. Depois que as novas tecnologias surgiram, essa foi uma geração que viu o avanço dos aparelhos eletrônicos e a prosperidade econômica. Sua infância já foi bem diferente da anterior, pois apareceram com mais força os computadores, videogames e TV a cabo.

Sendo parte da primeira geração realmente globalizada, os jovens aprenderam a ser multitarefas, ou seja, trabalham em mais de uma atribuição profissional, estão sempre buscando notícias, conversando on-line, ouvindo música e atentos às redes sociais.

É uma geração mais ambiciosa em relação ao emprego, então não têm tanta necessidade de estabilidade, e estão sempre buscando por novas oportunidades que promovam o crescimento profissional.

Geração Z

A última que trataremos aqui, a geração Z, são os nascidos entre o início de 1990 e 2010. O grande diferencial dessa geração é que eles nasceram após a criação da internet, então são familiarizados com a era tecnológica desde muito novos. Esse grupo não conhece o mundo sem os computadores, então são “digitalmente natos”, sabendo manusear os aparelhos com muita facilidade.

A universidade, tão cobiçada pelos indivíduos das gerações anteriores, já não é mais fundamental. Assim, em relação ao mercado de trabalho, não acreditam na possibilidade de seguir uma carreira para o resto da vida. Ou seja, são flexíveis e pensam em diferentes projetos e vontades sem necessidade de se fixar em algo que seja duradouro.

Algumas características dessa geração:

  • nível de ansiedade elevado;
  • relações sociais virtuais;
  • necessidade de exposição de opiniões assertivas;
  • e busca por responsabilidade social, política e ambiental.

Por ser uma geração baseada em estar conectada e ativa virtualmente todos os dias, há certos impactos educacionais e profissionais que devem ser analisados. Agora, falaremos um pouco sobre a relação entre esses jovens e a educação.

Como a geração Z lida com o processo educacional?

As famílias se assustam ao perceber a facilidade com que as crianças lidam com a tecnologia. Assim, a proibição do uso de celulares, tablets e internet não é uma opção viável, visto que já se acostumaram e se adaptaram ao uso da internet.

Uma das formas de fazer com que o processo educacional acompanhe a evolução das crianças e jovens, é utilizar a ferramenta para incentivá-los a estudar e pensar em novas dinâmicas para a sala de aula. Esse é um desafio para os educadores, pois é necessária uma reestruturação de metodologias para pensar como planejar as aulas de uma forma que prenda a atenção dos alunos.

Nesse caso, o dever dos responsáveis é buscar uma instituição de ensino disposta a evoluir com as necessidades da comunidade escolar, e incorporar a tecnologia à educação. Os professores precisam ser qualificados e sempre estudarem novas metodologias ativas e que englobam mecanismos interessantes, de acordo com a geração.

As características da geração Z são diversas e podem ser usadas a favor da educação de qualidade. Os educadores não podem se sentir reprimidos por essas mudanças, pois elas são uma realidade e precisam ser encaradas da melhor maneira possível, com investimento em infraestrutura e formações adequadas.

Gostou do conteúdo? Acesse a página inicial do nosso blog e confira os demais artigos que nós publicamos por aqui, para saber mais sobre uma educação de qualidade.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.