6 principais perigos da internet que os responsáveis precisam ficar de olho

A internet é um mundo com novas possibilidades para todas as gerações. São muitos os caminhos que podem ser seguidos: informações, jogos, compras e fácil comunicação, por exemplo, entre outros. Mas, infelizmente, com essa facilidade aparecem alguns riscos que precisam ser olhados de perto. Sendo as crianças e adolescentes as pessoas mais vulneráveis aos perigos da internet, é necessário supervisionar as atividades para evitar problemas da vida on-line.

Trataremos das questões centrais que precisam de cuidado especial por parte dos responsáveis, pensando na prevenção e na precaução para evitar que a criança ou o adolescente se envolvam em perigos e saibam como lidar diante deles.

Por que os familiares precisam estar atentos?

A criança e o jovem estão em fase de formação e de muita curiosidade. Por isso, é essencial que haja um certo cuidado no mundo virtual, tão cheio de caminhos e de indivíduos que podem tirar proveito da inocência dessas pessoas.

São vários pontos a serem analisados, desde conteúdos coerentes para a faixa etária da criança ou do adolescente, cuidados para não cair em golpes, predadores virtuais, possibilidade de violação de dados, postagens inadequadas, etc. Enfim, a internet é um avanço tecnológico que pode ser usado para vários fins, porém é perigoso que a criança e o adolescente, que são muito inocentes, lidem sozinhos com esse universo.

Lista de perigos e os modos de prevenção

Para que os familiares entendam um pouco melhor suas responsabilidades, criamos uma lista com os 6 principais perigos virtuais. Veja a seguir!

Phishing

Você já ouviu falar em phishing? Trata-se do “roubo de identidade on-line”. As tentativas de usurpar a identidade on-line de outras pessoas é muito comum, em que coletam-se dados pessoais, senhas, dados financeiros e, até, bancários.

Geralmente, o fraudador se passa por alguém ou uma empresa confiável que atrai a vítima e faz com que ela divida suas informações pessoais. Em muitos casos, basta abrir um e-mail ou uma mensagem para que a pessoa clique em um link e divida os diversos dados.

Para evitar cair nesse tipo de ataque, é importante alertar a criança a não abrir mensagens e e-mails de destinatários desconhecidos, a fim de evitar downloads desnecessários. Além disso, um bom antivírus é fundamental para manter o computador protegido.

Golpes virtuais

Além do phishing, existem outros golpes virtuais que precisam de atenção. Conheça alguns deles abaixo:

WhatsApp

O uso do aplicativo facilita muito a comunicação entre as pessoas. Porém, um golpe que acontece é a clonagem do WhatsApp por meio do código de verificação. O criminoso oferece alguma vantagem de contratação de serviço e até benefícios gratuitos, mas, ao passar o código solicitado, a vítima envia o acesso do WhatsApp e todos os contatos.

Depois de entrar na conta, ele tenta extorquir a família e os amigos da vítima e utilizar os dados pessoais para diferentes finalidades, sempre com más intenções.

Pacote de dados gratuitos

Muitos SMS, mensagens no WhatsApp e e-mails chegam aos usuários prometendo diferentes tipos de benefícios, por exemplo, 7 GB de internet gratuita, levando a vítima a clicar em um link e oferecer suas informações telefônicas, sem pensar nos riscos e nas consequências dessa ação.

Empresas falsas

Alguns criminosos copiam exatamente a imagem de empresas conhecidas e se passam por elas. Assim, por meio de um link – geralmente por e-mail – , a pessoa clica e é direcionada ao site, que solicita as informações pessoais a fim de realizar transações com os dados da vítima.

Depois que a pessoa compartilha as informações, ela descobre várias compras em seu nome, além do uso de suas senhas.

Bullying virtual

O bullying virtual, também conhecido como cyberbullying, é uma preocupação constante dos responsáveis. Ele ocorre, basicamente, quando um adolescente ou uma criança utiliza a internet para humilhar, ameaçar ou qualquer atitude que promova problemas e medos em um colega.

O bullying tem várias consequências preocupantes: desde a raiva até o comportamento suicida. Isso ocorre por se tratar de uma ação que afeta a autoestima e a ansiedade de quem sofre a ação, comprometendo a saúde mental da pessoa.

Uma forma de evitar grandes questões relacionadas ao cyberbullying é estar sempre atento a como a criança ou o adolescente apresenta suas emoções, e se tem tido atitudes como: não querer sair da cama; falar menos; chorar constantemente; entre outras. Quando você conhece o comportamento normal da criança ou do jovem, fica mais fácil perceber que há algo o incomodando.

Além disso, é importante ter um diálogo aberto, além de supervisionar as redes sociais e as pessoas com quem a criança conversa.

Predadores virtuais

Existem pessoas que procuram vítimas potenciais na internet, sendo as crianças e os adolescentes os alvos principais. Geralmente, o predador se passa por outra pessoa, com a mesma idade e interesses da vítima, dada a maior facilidade de criar vínculos. Com isso, ele descobre informações do cotidiano da família da criança, e até pode encontrá-la pessoalmente.

Por isso, a supervisão dos sites é tão importante. Uma forma de alertar a sua criança é contando histórias reais que aconteceram com outros colegas, mostrando a ela como sair dessa situação, caso aconteça algo parecido com ela.

Postagens inadequadas

Muitas vezes, a criança não sabe o que é pertinente ou não de divulgar na internet. Por isso, explique a ela que informações muito pessoais (como o nome da escola em que ela estuda, em quais horários ela fica sozinha em casa, se ela vai sozinha a algum lugar, etc) ou seus dados pessoais (como documentos, fotos com pouca roupa, etc) não são recomendados de serem compartilhados, pois podem ser utilizados contra ela no futuro.

É importante que a criança entenda que não há como “apagar” algo na internet. Mesmo que seja apagado, há formas de recuperar a informação.

Conteúdos para maiores

Os responsáveis têm o poder de filtrar conteúdos que podem prejudicar o desenvolvimento infantil. Assim, é importante que sites maliciosos ou com conteúdos sexuais sejam bloqueados. Acompanhar de perto a relação “criança e internet”, tanto no computador quanto no celular – ou em demais dispositivos, é essencial para que conteúdos com violência e nudez não sejam consumidos por ela.

Atualmente, a internet faz parte da vida das crianças desde o contexto escolar até a busca por jogos e lazer. Por isso, a proibição virtual não é uma opção, mas, sim, o cuidado e a supervisão por parte dos responsáveis para proteger as crianças dos perigos da internet. O diálogo e a atenção são fundamentais quando o assunto é um bom desenvolvimento infantil.

Se você gostou do conteúdo e quer conhecer mais sobre o nosso Colégio e todo o suporte que prestamos às família e aos alunos, entre em contato conosco e conheça um pouco mais do nosso trabalho!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.